Ауди
медицина
No result...

LINKS



O IRD

Versão para impressão PDF
Самые новые шаблоны Joomla на нашем сайте.
Красивые Шаблоны Joomla 2.5
Игровые шаблоны DLE
Самая быстрая Диета

O Instituto de Radioproteção e Dosimetria (IRD) é uma instituição de pesquisa, desenvolvimento e ensino na área de radioproteção, dosimetria e metrologia das radiações ionizantes. Ligado à Diretoria de Radioproteção e Segurança Nuclear (DRS) da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN),, atua em colaboração com universidades, agências governamentais e indústrias para promover o uso seguro das radiações ionizantes e da tecnologia nuclear.

Suas atividades de pesquisa, apoio técnico e prestação de serviço têm permitido desenvolver novas tecnologias e implementar soluções para que os benefícios do uso das radiações ionizantes cheguem com segurança a um número cada vez maior de brasileiros.

Cerca de 260 profissionais trabalham para que pesquisas, desenvolvimento tecnológico e inovação beneficiem indústrias, instalações médicas, centros de pesquisa e outros segmentos, de forma a contribuir com a segurança da população, dos trabalhadores do setor e do meio ambiente.

Criação

O Instituto de Radioproteção e Dosimetria (IRD) teve sua origem na década de 1960, em um pequeno laboratório de dosimetria do Departamento de Pesquisas Científicas e Tecnológicas da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), situado nas dependências da PUC-RJ. Na direção deste laboratório estiveram o Doutor Edgard Meyer e a Doutora Anna Maria Campos de Araujo, contando inicialmente com apenas quatro servidores.


A atribuição básica do laboratório consistia em calibrar monitores de radioproteção utilizando fontes de referência e realizar monitoração ambiental do impacto das explosões atômicas ocorridas no hemisfério norte. A metrologia das radiações ionizantes no Brasil teve um grande impulso com a doação, feita pelo INCa ao laboratório, do primeiro irradiador de cobalto para a calibração de dosímetros clínicos, em 1969.


Em 21 de março de 1972, o Laboratório de Dosimetria ganhou novas instalações, na baixada de Jacarepaguá, atual bairro do Recreio dos Bandeirantes. Cabe destacar o empenho do doutor Rex Nazaré Alves, primeiro diretor do IRD, na  implantação das novas instalações.  Em 21 de julho de 1972,  passou a integrar o Centro de DesenvolvimentoTecnológico Nuclear  da Companhia Brasileira de Tecnologia Nuclear(CBTN) . Em 29 de janeiro de 1974, foi aprovada a atual denominação, Instituto de Radioproteção e Dosimetria.


Em 16 de dezembro de 1974, a CBTN foi sucedida pelas Empresas Nucleares Brasileiras (Nuclebrás), incorporando o IRD com seus 73 servidores. Em 26 de julho de 1979, o IRD, que já contava com 189 funcionários, é reincorporado à CNEN.

Histórico

Criado em 1972 como Laboratório de Dosimetria, o IRD é um dos institutos da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) e está subordinado à Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento (DPD). Tem como objetivo atuar como centro de referência nacional nas áreas de radioproteção e metrologia das radiações ionizantes em aplicações na indústria, medicina, ciclo do combustível nuclear, assim como em todas as atividades que possam resultar na exposição do homem e do meio ambiente às radiações ionizantes.

 

Desde 1976, o IRD possui um Laboratório de Dosimetria Padrão Secundário reconhecido pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Em 1989, o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (INMETRO) delegou à instituição a responsabilidade nacional no campo da metrologia das radiações ionizantes, sendo designado Laboratório Nacional de Metrologia das Radiações Ionizantes (LNMRI).

 

Em 1990 foi homologado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como coordenador de um dos sete centros mundiais de referência, chamados Centros Colaboradores da OMS, para proteção radiológica e preparativos médicos no atendimento a acidentes nucleares e emergências radiológicas.

 

No período de 1974-2007 o IRD foi subordinado à Diretoria de Radioproteção e Segurança Nuclear (DRS) da CNEN, atuando também na condução de inspeções regulatórias de radioproteção. No período de 2008 a 2016, pertenceu à Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento (DPD) da CNEN. A partir de 2017 o IRD voltou a pertencer  a Diretoria de Radioproteção e Segurança Nuclear (DRS) da CNEN.  Atualmente, em seu corpo técnico-científico, 260 funcionários efetivos, dos quais 157 com nível superior, 132 com nível intermediário e 4 com nível auxiliar. Dos funcionários de nível superior, 58 possuem doutorado e 52 possuem mestrado.

Comitês

O IRD participa dos diversos comitês técnicos e normativos da AIEA e do Ministério da Saúde, seus servidores são  representantes brasileiros  na “United Nations Scientific Committee on the Effects of Atomic Radiation” (UNSCEAR), no “Bureau International de Poids et Mesures” (BIPM) e no “Radiation Safety Standards Committee” (RASSC/IAEA – até 2008), na “International Commission on Radiological Protection” (ICRP) e no grupo de trabalho do Comprehensive Nuclear Test Ban Treaty. Neste último o IRD é um dos 16 laboratórios de referência para o Tratado.

Missão

Atuar com excelência nas áreas de radioproteção, dosimetria e metrologia, gerando e disseminando conhecimento e tecnologia para o uso seguro das radiações ionizantes, visando a melhoria da qualidade de vida no país.
Designações

Em 1976, o IRD foi reconhecido pela IAEA e pela Organização Mundial da Saúde(OMS) como Laboratório de Dosimetria Padrão Secundário, passando a integrar a rede de laboratórios da IAEA.

 

Em 1990, foi designado coordenador do Centro Colaborador da OrganizaçãoMundial da Saúde para Radioproteção e Preparativos Médicos de Radioacidentados; renovado em 16 de abril de 2008.

 

Em 1996, o IRD foi integrado ao Sistema de Monitoração Internacional como um dos Laboratórios de Medida de Radionuclídeos associados ao Tratado de Proibição Total de Testes Nucleares (CTBT).

 

Em 1997, o Laboratório de Nêutrons que é responsável pela guarda e manutenção do Padrão Brasileiro de Fluência de Nêutrons recebeu, como doação do BIPM, o sistema absoluto de padronização primária de fontes de nêutrons.Tornando-se o único laboratório de padronização primário para fluência de nêutrons do hemisfério sul.

 

Em 2000, o IRD foi nomeado como o “National Warning Point” (NWP) da IAEA,no contexto da Convenção de Pronta Notificação de um Acidente Nuclear e como o “National Competent Authority for Accidents Abroad” (NCA-A) da IAEA, no contexto da Convenção de Assistência em caso de um acidente nuclear ou de emergência radiológica.

 

Em dezembro de 2002, foi assinado convênio com o INMETRO no qual o IRD passou a ser um Laboratório Designado, através do LNMRI, renovado em 30 de junho de 2008.

 

Em novembro de 2004, em reunião do Sistema Interamericano de Metrologia (SIM) o Sistema da Qualidade do Laboratório Nacional de Metrologia das Radiações Ionizantes(LNMRI) foi aprovado dentro do Acordo de Reconhecimento Mútuo de Certificados de Calibração do CIPM/BIPM, após ser auditado por especialistas internacionais do Laboratório Nacional Henry Becquerel (França) e do Instituto Português da Qualidade e, em novembro de 2009, após segunda auditoria internacional, foi novamente aprovado.

 

Em 2010 o IRD foi reconhecido como um Centro Regional de Treinamento da AIEA.

 

Em 2011, o Laboratório de Espectrometria de Massa do IRD foi aceito para integrar a Rede de Laboratórios Analíticos da AIEA para realização de análises com finalidade de Salvaguardas.

 

Organograma

CNEN - Comissão Nacional de Energia Nuclear

IRD - Instituto de Radioproteção e Dosimetria