Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Conferência ministerial AIEA sobre ciência nuclear e tecnologia
Início do conteúdo da página

Conferência ministerial AIEA sobre ciência nuclear e tecnologia

  • Publicado: Domingo, 02 de Dezembro de 2018, 01h15
  • Última atualização em Segunda, 03 de Dezembro de 2018, 11h41

A Agência Internacional de Energia Nuclear (AIEA) realizou, de 28 a 30 de novembro, em Viena, Áustria, a conferência ministerial “Nuclear Science and Technology Addressing Current and Emerging Development Challenges”. O objetivo foi  promover a ciência nuclear, a tecnologia e suas aplicações para utilizações pacíficas, principalmente através do programa de cooperação técnica da Agência entre seus Estados-Membros, destacando a contribuição futura para o desenvolvimento sustentável.


O presidente da CNEN, Paulo Roberto Pertusi, representou o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e a CNEN no encontro. Integraram a comitiva o embaixador Marcel Fortuna Biato, representante brasileiro junto à AIEA; o superintendente do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), Wilson Aparecido Parejo Calvo; o diretor do Instituto de Engenharia Nuclear (IEN), Fabio Staude; o diretor do Instituto de Radioproteção e Dosimetria (IRD), Renato Di Prinzio; o coordenador-geral de aplicações das radiações ionizantes, Francisco Rondinelli e o gerente de operação do irradiador multipropósito de cobalto-60 do Ipen, Pablo Antonio Vasquez Salvador.


A partir da esquerda, diretor IEN, presidente CNEN, diretor IRD, embaixador e superintendente Ipen

A princesa Vitória, da Suécia, fez a abertura do encontro. Em seu discurso, destacou a importância da pesquisa nuclear em diversos campos, como por exemplo na compreensão  de mudanças que ocorrem nos oceanos e solos, com impactos na produção mundial de alimentos.  O embaixador Marcel Biato destacou a importância do programa de cooperação técnica com a Agência e os princípios que norteiam  o programa nuclear brasileiro, de contribuir com inúmeras aplicações da tecnologia, com segurança, para melhorar a qualidade de vida no país, na região e em todo o mundo. “As aplicações da tecnologia nuclear têm um importante papel  com relação aos desafios que enfrentamos como implementar a Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável e o Acordo de Paris sobre Mudanças Climáticas.”

Um dos eventos paralelos à Conferência teve como tema a cooperação em tecnologia nuclear entre Brasil e Argentina. Neste encontro foram realizadas apresentações do presidente da CNEN sobre o programa nuclear brasileiro e sobre o Reator Multipropósito Brasileiro, por Wilson Calvo. O RMB é um reator nacional que permitirá a produção de radioisótopos, elementos importantes em saúde, para diagnósticos e terapias na área de medicina nuclear. Durante a semana também foi inaugurado novo laboratório de aplicações nucleares da AIEA em Seibersdorf, Áustria.

O pesquisador do Ipen Pablo Salvador proferiu apresentação sobre o uso da radiação para a preservação de obras do patrimônio histórico. As peças são tratadas com doses de radiação que destroem os microorganismos que infestam os materiais. As aplicações da tecnologia nuclear envolvem áreas como agricultura, medicina, indústria e outras de grande impacto social.

No relatório final da conferência  estão descritos os compromissos reafirmados pelos Estados-membros. Entre eles, o de desenvolverem “esforços para trabalhar conjunto, em uma base interdisciplinar, com parceiros relevantes, incluindo a academia, bem como as agências de desenvolvimento internacionais, regionais e nacionais, trazendo resultados de pesquisa e desenvolvimento relativos às aplicações da ciência nuclear e tecnologia para os usuários finais”.

Mais detalhes sobre a Conferência no site https://www.iaea.org/events/ministerial-conference-on-nuclear-science-and-technology-2018

Texto: Lilian Bueno/ Ascom IRD
Foto: Divulgação CNEN

registrado em:
Fim do conteúdo da página