Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Nova grandeza em radiações ionizantes é tema de seminário no IRD

O seminário Hp(10): Mudança da Grandeza Dosimétrica no País reuniu 170 participantes na sede do IRD para discutir sobre a implementação da nova grandeza na área de radiações ionizantes no país. O diretor do IRD Renato Di Prinzio destacou o papel de todos os profissionais que trabalharam em prol dessa mudança, que traz mais segurança a indivíduos ocupacionalmente expostos. Ele ressaltou ainda o trabalho do Comitê de Avaliação de Serviços de Ensaio e Calibração (Casec) do IRD.


Encontro reuniu 170 participantes de diversas instituições

O indivíduo ocupacionalmente exposto à radiação (IOE) utiliza dispositivos chamados dosímetros para monitorar essa exposição. Os dosímetros são periodicamente analisados. Até então as medições da radiação recebidas pelo IOE eram realizadas considerando-se a grandeza Hx. A partir do estabelecimento da grandeza Hp(10) no país, as medições passam a considerar o retroespalhamento da radiação no corpo humano, o que retrata melhor o processo físico envolvido. O coordenador do comitê e organizador do seminário frisou que a grandeza HP10 já é utilizada no mundo todo e que ela traz mais confiabilidade de medida nas doses de radiação.

“A importância da monitoração individual externa de trabalhadores expostos à radiação ionizante na grandeza dosimétrica equivalente de dose individual Hp(d): Hp(10), Hp(3) e Hp(0,07)” foi tema da apresentação do pesquisador do IRD John Hunt, membro do Comitê Internacional de Proteção Radiológica (ICRP) na parte de monitoração individual. Hunt afirmou que vários detalhes sobre a Hp(10) devem ser levados em conta. “Em operações normais o dosímetro de tórax Hp(10) vai superestimar um pouco a dose no cristalino. No caso de acidentes (doses acima de 100miliSievert), seria recomendável realizar um cálculo de dose mais detalhado levando-se em consideração a geometria da exposição, a energia da radiação, entre outros fatores”, explicou.

O pesquisador do Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear Teógenes Augusto da Silva ministrou a palestra “Papel e responsabilidade dos laboratórios de metrologia na garantia da qualidade para as medições na grandeza Hp(10)”. Ressaltou a importância de os laboratórios e de todos os envolvidos na implementação da grandeza trabalharem em conjunto. “O significado para os serviços de monitoração individual da adoção da grandeza Hp (10) na avaliação da dose dos IOEs” foi tema de Yvone Maria Mascarenhas, da empresa Sapra Landauer.

A chefe da Divisão de Metrologia do IRD, Karla Souza Patrão, e o pesquisador Francisco Cesar Augusto da Silva apresentaram a palestra “O Casec/IRD e o processo de avaliação de desempenho dos serviços de monitoração individual externa na grandeza Hp (10)”. Ao Casec cabe acompanhar, por meio de auditorias e programas de acompanhamento, o desempenho dos serviços, podendo recomendar à direção do IRD a concessão, renovação, suspensão ou cancelamento da certificação de serviços. Laboratórios de metrologia, o comitê e a rede Metroradi atuam para aprimorar a qualidade das medições.

O IRD é designado pelo Inmetro como Laboratório Nacional de Metrologia das Radiações Ionizantes no pais. É a referência nacional para medida das radiações ionizantes.

Reportagem: Lilian Bueno
Foto: Heloisa Barra(capa) - Lilian Bueno/ Ascom IRD/

registrado em:
Fim do conteúdo da página